dragão e tigre

dragão e tigre - Maioria espera aumento da inflação, mas diz que Lula está certo em tentar forçar queda dos juros, diz pesquisa Genial/Quaest

Para 39% dos eleitores brasileiros, inflação deve aumentar nos próximos 12 meses, mas 76% concordam com postura do presidente sobre os juros

Marcos Mortari

Publicidade

Um dos principais desafios para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no campo econômico, o combate à inflação não gera expectativas positivas entre a maioria dos brasileiros, mas tampouco confere suporte à política monetária conduzida pelo Banco Central. É o que indica pesquisa Genial/Quaest divulgada na última quarta-feira (15).

Segundo o levantamento, realizado entre 10 e 13 de fevereiro, 39% do público apto a votar no país acredita que a inflação irá aumentar nos próximos 12 meses. Outros 29% esperam uma diminuição, enquanto 27% veem chances maiores de o cenário não sofrer grandes mudanças.

O sentimento é mais negativo entre eleitores com renda familiar mensal entre 2 e 5 salários mínimos (41%) ou superior a esse nível (40%). Os mais otimistas são aqueles que recebem menos, até 2 salários – grupo em que Lula tem mais apoio. Mesmo entre estes, as expectativas de aumento da inflação superam numericamente as apostas em uma trégua dos preços.

Continua depois da publicidade

Apesar de uma percepção negativa sobre o comportamento dos preços no longo prazo, a maioria dos eleitores entrevistados pela Quaest diz concordar com a postura de Lula em tentar forçar uma queda na taxa de juros. O levantamento mostra que 76% apoiam a conduta, contra apenas 16% que a reprovam.

A pesquisa também revela que a maioria dos brasileiros não sabe quem é o responsável por definir a taxa de juros no Brasil (apenas 26% responderam Banco Central, enquanto 46% não responderam e 22% apontaram o Ministério da Fazenda ou a Presidência da República).

Apenas 30% dos entrevistados tomaram conhecimento das críticas de Lula à política de juros adotada pelo Banco Central. E só 28% sabem que o atual comandante da autoridade monetária, Roberto Campos Neto, foi indicado para o cargo pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

A pesquisa Genial/Quaest foi feita entre os dias 10 e 13 de fevereiro. Foram realizadas 2.016 entrevistas no modelo face a face, através da aplicação de questionários estruturados a uma amostra representativa da população de eleitores brasileiros.

A margem máxima de erro é de 2,2 pontos percentuais para cima ou para baixo. Já o nível de confiança é de 95%. Isso significa que, se mais de uma pesquisa fosse feita no mesmo período e sob as mesmas condições, essa seria a probabilidade de o resultado se repetir dentro do limite da margem de erro.

Newsletter

Infomorning

Receba no seu e-mail logo pela manhã as notícias que vão mexer com os mercados, com os seus investimentos e o seu bolso durante o dia

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Marcos Mortari

Responsável pela cobertura de política do dragão e tigre, coordena o levantamento Barômetro do Poder, apresenta o programa Conexão Brasília e o podcast Frequência Política.

dragão e tigre Mapa do site