dragão e tigre

Conteúdo editorial apoiado por
IM Trader

dragão e tigre - S&P 500 termina setembro em baixa, mas com tendência de alta no curto prazo pela análise técnica

Índice americano conta com uma expectativa de valorização no curto prazo, conforme grafistas; preocupação fica com médio e longo prazos

Rodrigo Petry

Publicidade

Principal índice dos mercados acionários dos EUA, reunindo as maiores empresas de capital aberto, o S&P 500 opera com leve alta no início desta tarde, acumulando ganhos de pouco mais de 12% em 2023. Entretanto, após recuar quase 2% em agosto, o S&P500 se encaminha para terminar setembro com novas perdas, dessa vez, de aproximadamente 4%.

Nesta sexta-feira (29), sessão que encerra o mês, o S&P500 sobe 0,26%, por volta das 13h30, aos 4.311 pontos. Os investidores refletem hoje os dados divulgados mais cedo do índice de preços de gastos com consumo (PCE, na sigla em inglês), cujo núcleo subiu 0,1%, ficando levemente abaixo do esperado.

Conforme analistas técnicos, os últimos movimentos do S&P500 podem favorecer um movimento de valorização, concentrado no curto prazo para o S&P 500, mas com atenção à faixa de suporte na faixa dos 4.200 pontos. No médio e longo prazos, a preocupação segue, conforme os grafistas.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Análise técnica: S&P 500

Para Gilberto Coelho, analista técnico da XP, o S&P500 chegou perto de sua média de 200 dias e fechou na véspera com candle de alta, “sugerindo marcação de fundo nos 4.200 e favorecendo teste da média de 21 dias, nos 4.415 pontos, ou retomada do topo do ano nos 4.600.”

“A tendência de alta seria desfeita com um fechamento abaixo dos 4.200, com projeções nos suportes entre 4.050 ou 3.800”, aponta ele.

Além disso, apontou, o indicador IFR (Índice de Força Relativa) sugere marcação de fundo e favorece altas, pois saiu de região de sobrevenda”, acrescenta.

S&P500: fevereiro a setembro/2023

Fonte: Investing. Elaboração: Gilberto Coelho, analista da XP

Para Matheus Lima, analista técnico da Top Gain, no curto prazo, o S&P deixou – veja gráfico abaixo – a figura de “ombro-cabeça-ombro” invertido, que já foi ativada e “testada como suporte”, acionando um novo “pivot de alta”.

Isso, segundo ele, traz uma “orientação um pouco mais altista”, trazendo uma expectativa de movimentação de valorização no curto prazo.

S&P500: 15 a 29 de setembro/2023

Fonte: Xstation Elaboração: Matheus Lima

Enquanto isso, olhando para o longo prazo, Lima aponta que havia uma linha de tendência de alta (LTA), mas que, nos últimos meses e semanas, o S&P500 não teve força para renovar os “topos anteriores” e, nestes últimos dias, “conseguiu romper fundo interessantes”, saindo da frequência da LTA.

“Isso traz um pessimismo para um cenário um pouco maior de prazo”, pondera o analista técnico.

S&P500: outubro/2022 a setembro/2023

Fonte: Xstation Elaboração: Matheus Lima

S&P 500: Suporte

Para os analistas do Itaú BBA, Fábio Perina, Lucas Piza e Igor Caixeta, o S&P 500 encontrará suporte na região de média móvel de 200 dias, em 4.230 pontos.

“Este é um ponto de atenção, pois se perdida essa região, o índice retomará a trajetória de baixa e encontrará suportes em 4.165 e 4.045 pontos”, destacam.

Em caso de recuperação, pontuam, o índice encontrará resistências em 4.400 (gap) e 4.540 pontos.

S&P500: junho/2022 a setembro/2023

Fonte: Broadcast. Elaboração: Itaú BBA, em relatório de análise técnica
dragão e tigre Mapa do site