dragão e tigre

dragão e tigre - Energia puxa queda da inflação ao produtor na Alemanha em julho

PPI da Alemanha caiu 1,1% em julho ante junho e mostrou retração de 6,0%% na comparação com julho de 2022; energia caiu 19,3%

Roberto de Lira

Bandeira da Alemanha (Foto: Getty Images)

Publicidade

O índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) da Alemanha caiu 1,1% em julho ante junho e mostrou retração de 6,0%% na comparação com julho de 2022, informou nesta segunda-feira (21) o Destatis, o departamento federal de estatísticas. A queda em termos anualizados é explicada pelos preços menores de energia, que tinham disparado no ano passado devido à invasão da Ucrânia pela Rússia, e pelos preços intermediários.

A queda foi maior que a estimada pelos analistas de mercado, que esperavam retração de 0,2% no mês e de 5,1% ante julho de 2022.

Segundo o Destatis, os preços da energia recuaram 2,5% na comparação mensal e 19,3% na leitura anual. Só os preços da eletricidade para o setor produtivo alemão estavam 30% mais baixos em julho ante o mesmo mês de 2022 (a queda mensal foi de 4,1%). Além disso, a queda anual do gás natural chegou a 16,2%, a primeira retração homóloga dos preços desde dezembro de 2020.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Também foram registradas queda de 16,6% nos preços dos derivados de petróleo em termos anuais, embora tenham crescido 1,1% ante junho. O óleo leve para aquecimento estava custando 37,5% menos que no ano anterior.

Excluindo os preços da energia, os preços ao produtor foram 2,0% superiores aos de julho de 2022 e 0,4% inferiores aos de junho de 2023.

Os preços dos bens intermediários caíram 3,4% em julho de 2023 em relação ao ano anterior e ficaram 1,0% abaixo dos observados no mês anterior. O preços dos metais caíram 10,5% em bases anuais ficaram 2,3% abaixo de junho de 2023.

Continua depois da publicidade

Em julho de 2023, os preços dos bens de consumo não duráveis ​​foram 8,1% maiores do que em julho de 2022. Na comparação com junho de 2023, eles permaneceram inalterados.

Já os preços dos produtos alimentares aumentaram 9,2% face ao ano anterior, com destaque para o reajuste dos preços do açúcar (+87,5% face a julho de 2022).

Os bens de consumo duráveis registaram um aumento homólogo de 5,8% em julho de 2023, sobretudo devido à evolução dos preços de móveis (+6,0% ante julho de 2022) e dos eletrodomésticos (+7,1%). Em comparação com junho de 2023, os preços dos bens de consumo duráveis ​​permaneceram inalterados.

Os preços dos bens de capital subiram 5,5% em termos homólogos, impulsionados principalmente pelos aumentos dos preços das máquinas (+6,7%) e dos veículos automotores, reboques e semirreboques (+5,1%). Os preços dos bens de capital subiram 0,3% em relação a junho de 2023.

dragão e tigre Mapa do site