dragão e tigre

dragão e tigre - Café da manhã por 40 centavos

Como visto no Japão na década de 1990, a deflação - se prolongada - pode pesar no crescimento econômico.

Reuters

(Shutterstock)

Publicidade

PEQUIM (Reuters) – Nos restaurantes Nanchengxiang em Pequim, os clientes se deliciam com um buffet de café da manhã com três tipos de mingau de arroz, sopa azeda e picante e leite – tudo pelo preço de 3 iuanes (0,40 dólar).

“Muitas opções boas e baratas surgiram durante a pandemia”, disse Gao Yi, de 71 anos, enquanto tomava café da manhã com o neto em uma das 160 lojas da rede na capital chinesa.

“Nem todas duram. Mas há novas ofertas boas o tempo todo, você só precisa sair para encontrá-los.”

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

É assim que a deflação se parece na China.

O comportamento do consumidor está alimentando uma guerra de preços entre as cadeias de restaurantes de baixo custo na China, o que, segundo analistas, pode prejudicar empresas menores que lutam para acompanhar os descontos oferecidos por grandes players.

Como visto no Japão na década de 1990, a deflação – se prolongada – pode pesar no crescimento econômico.

Continua depois da publicidade

“São necessárias boas ofertas para levar os consumidores até a porta, então há muita pressão sobre essas empresas para encontrar margens”, disse Ben Cavender, diretor-gerente do Grupo de Pesquisa de Mercado da China em Xangai.

Ao contrário dos países ocidentais, o povo chinês foi deixado em grande parte sozinho para se defender financeiramente durante a pandemia, com o apoio do governo direcionado principalmente ao setor manufatureiro. Depois que as restrições foram suspensas, não houve alarde imediato do consumidor, como previram alguns economistas.

Com salários e aposentadoras praticamente inalterados e o mercado de trabalho altamente incerto, o apetite por gastos é limitado e, em uma economia que mal cresce, a confiança é baixa.

“Estratégias de desconto, oferecendo aos consumidores uma escolha mais econômica, correspondem à situação econômica atual”, disse Zhu Danpeng, analista de alimentos e bebidas e vice-chefe da Aliança Provincial de Promoção da Segurança Alimentar de Guangdong.

A loja central de Nanchengxiang estava lotada na quinta-feira, como acontece todas as manhãs desde que a oferta de 3 iuanes foi lançada em maio, segundo a equipe. A empresa não respondeu às perguntas da Reuters sobre suas margens de lucro e estratégia de negócios.

A Xishaoye, uma franquia de hambúrgueres com sede em Pequim, também anunciou preços mais baixos, com funcionários dizendo que alguns itens chegarão a 10 iuanes. A Yum China , operadora do KFC no país, está atraindo clientes com um menu de hambúrgueres, lanches e bebidas por 19,9 iuanes.

“A circulação está de volta, mas o gasto por pessoa caiu”, disse Joey Wat, diretor executivo da Yum, à Reuters.

“Em nossas mentes, a pandemia parece ter acontecido há muito tempo. Na verdade, não. As pessoas precisam de tempo para se ajustar.”

dragão e tigre Mapa do site